"Eu vi o tempo brincando ao redor do caminho daquele menino"...

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Destinos cruzados...

"Senhor, eu não sou digno de que entreis em minha morada.
Mas dizei uma só palavra e meu servo será salvo."
(Mateus 8,8)

É hora de despedir-me do céu, voltar ao meu mundinho de choros e consequências. Já cansei de ouvir as batidas do meu próprio coração, já sei todas as suas músicas, todos os seus ritmos. Lá embaixo que é o meu lugar, foi bom o tempo que fiquei por aqui entre nuvens e anjos, paz e harmonia, silêncio e meditação, mas agora é hora de partir. É hora de despedir-me, voltar lá pra baixo, para o meu mundo, para a minha natureza selvagem.
Agora eu preciso rasgar o bucho do céu e voltar para o meu lugar. Talvez alguns poucos infelizes possam seguir o meu mesmo caminho de volta. Enquanto isso, Jesus faz o caminho de volta ao céu e com Ele seguem apenas os bons, aqueles que são dignos de entrarem em Sua morada. Aí na Terra está a galera que ficou para trás, seres imperfeitos que não têm direito à morada divina, e eu tenho certeza que aí é o meu lugar. Sou profano demais para merecer tal honraria de passar o resto dos meus dias no céu, sou "humano demais, divino de menos" para essas coisas.

"E a minha faca puxasse
E o bucho do céu furasse
Tarvez que nóis dois ficasse
Tarvez que nóis dois caísse
E o céu furado arriasse e as virge toda fugisse"
(Ai se sesse - Zé da Luz por Cordel do Fogo Encantado)


"No castelo dos destinos cruzados
O viajante que chegou pode ser você
Eu fiz de tudo que eu pude para te esquecer
A morte vive aqui do lado só que a gente não vê
Uma pessoa que ficou perdida
Uma pessoa que caiu do céu
Uma pessoa que você já conhecia
Muito antes de nascer e que você perdeu"
(O castelo dos destinos cruzados - Engenheiros do Hawaii)

Eu estava lá de intrometido, como sempre sou, pois estou sempre querendo tirar vantagens em cima de todas as situações e de todas as pessoas que me agradam. Mas me libertei e caí aqui de volta, e, apesar de tudo, aqui embaixo que é bom. Nossas imperfeições, nossos defeitos, nossos traumas, isso que vale a pena. Lá em cima é tudo muito chato, é tudo muito tranquilo, é tudo muito da paz, e tem uma hora que a gente cansa disso tudo e prefere ficar na luta diária do plano terrestre. 
Sim, eu sou do lugar dos esquecidos, dos condenados, dos ofendidos, esse é o meu lugar. Voltei e trouxe comigo aqueles que quiseram retornar à morada dos homens e das mulheres, ao nosso baile de batalhas e de horrores, à nossa festa de paixões e de amores. Mas como disse, esse é o nosso lugar. 
E quanto a Deus? Se Ele quiser, que venha nos fazer uma visita. Pois "os homens aprenderam com Deus a criar e foi com os homens que Deus aprendeu a amar". Enquanto isso eu voltei ao meu lar e sigo cheio de perguntas. Talvez eu obtenha as respostas quando Ele aqui voltar, minha casa sempre estará aberta para recebê-Lo. Ou talvez eu tenha minhas respostas quando eu pra lá retornar, se é que Ele me queira de volta, pois já não sou mais digno de entrar em Sua morada, mas dizei uma só palavra e serei salvo...

"Por que não fala também?
Por que parece não me ver?
Por que me faz pensar assim?
Por que...
Deixa pra lá
Fico com essa dúvida
Até você voltar."
(Conversas paralelas - Rebeca Moura)

2 comentários:

Rebeca Moura disse...

Belo texto!!!
Créditos na citação :D

Janderson... disse...

os créditos já estão lá bem dados queridinha :P