"Eu vi o tempo brincando ao redor do caminho daquele menino"...

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Paranóia



Quando esqueço a hora de dormir
E de repente chega o amanhecer
Sinto a culpa que eu não sei de que
Pergunto o que que eu fiz?
Meu coração não diz e eu,
Eu sinto medo! Eu sinto medo!

Se eu vejo um papel qualquer no chão
Tremo, corro e apanho pra esconder
Com medo de ter sido uma anotação que eu fiz
Que não se possa ler
E eu gosto de escrever, mas
Mas eu sinto medo! Eu sinto medo!

Tinha tanto medo de sair da cama à noite pro banheiro
Medo de saber que não estava ali sozinho porque sempre
Sempre, sempre
Eu estava com Deus!
Eu estava com Deus!
Eu estava com Deus!
Eu tava sempre com Deus!

Minha mãe me disse há tempo atrás
Onde você for Deus vai atrás
Deus vê sempre tudo que cê faz
Mas eu não via Deus
Achava assombração, mas
Mas eu tinha medo!
Eu tinha medo!

Vacilava sempre a ficar nu lá no chuveiro, com vergonha
Com vergonha de saber que tinha alguém ali comigo
Vendo fazer tudo que se faz dentro dum banheiro
Vendo fazer tudo que se faz dentro dum banheiro

Paranóia

Dedico esta canção:
Para Nóia!
Com amor e com medo (com amor e com medo)
Com amor e com medo (com amor e com medo)
Com amor e com medo (com amor e com medo)
Com amor e com medo (com amor e com medo)
Com amor e com medo

(Raul Seixas)

Mais uma de Raul Seixas. Essa letra me lembra alguma coisa, principalmente de quando eu era criança, como são inocentes as crianças. Hoje não tenho mais medo dessa "Paranóia" que segue a estar somente na cabeça de milhões. Mesmo estando sozinho estou bem, sem vergonha de fazer nada que deve ser feito a sós. Aí lembro de outra música do Raul, "Eu sou egoísta" porque "onde eu tô não há sombra de Deus"...

2 comentários:

Ana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Janderson... disse...

KKKKKKKKKK
Deus my loves...hihihihihihihihihi
vóvis e suas estórias, tinha medo sim de "malinações"...